Árbitro escolhido a dedo

 

Depois de ver a actuação do sr. Fábio Veríssimo na Vila da Feira, não restam dúvidas de que este juiz do apito foi deliberadamente escolhido para retirar pontos aos portistas. Fábio Veríssimo que no início do jogo até pareceu querer fazer um trabalho isento, a partir de certa altura desarticulou-se e começou a apitar nitidamente contra os dragões e a beneficiar o Feirense! Por conseguinte se dúvidas houvesse, elas seriam dissipadas pela dualidade de critérios disciplinares utilizados. A agravar a situação, o VAR de serviço, o famigerado Bruno Paixão, um árbitro célebre por arbitragens vergonhosas todas contra o FC Porto.
O cartão amarelo exibido a Soares por suposta simulação de falta, quando este foi nitidamente pisado num pé pelo adversário; e o segundo cartão amarelo mostrado a Felipe por pretensa falta sobre um adversário que se atirou para a piscina, quando Felipe joga simplesmente a bola; é de bradar aos céus…!!!
Destaques – 
O Feirense adoptou uma estratégia de super ferrolho e a par disso houve elementos da equipa portista que não renderam o habitual, ou seja, o seu normal, o que fez com que a equipa se ressentisse no seu entrosamento…!

Quarta-feira, 3 Janeiro 2018 • 20:15-Estádio:Marcolino de Castro, S.ta Maria da Feira
FEIRENSE                       16.ª Jornada                        FC PORTO

                                                                 

Árbitro: Fábio Veríssimo (Leiria)
Assistentes: Paulo Soares e Paulo Brás – VAR: Bruno Paixão
4.º Árbitro: Fábio Piló

Feirense: 22 Caio
28 Jean Sony, 32 Flávio Ramos, 13 Luís Rocha 3 Alex Kakuba (31′)
30 Luís Aurélio, 8 Tiago Silva (38′), 5 Babanco 77 Hugo Seco (62′)
10 Etebo, 19 João Silva (52′)
Suplentes: 37 Miskiewicz, 4 Briseño (50′ Babanco), 6 João Graça
7 Luís Machado, 12 Edson Farias (68′ Hugo Seco), 20 José Valência 
(86′ Tiago Silva), 35 BargeTreinador: Nuno Manta Santos
FC Porto: 12 José Sá (90+2′)

21 Ricardo, 28 Felipe (29′) (83′), 5 Marcano (c)(90+5′), 13 Alex Telles
22 Danilo, 20 André André , 8 Brahimi, 17 Corona 
11 Marega, 9 Aboubakar 
Suplentes: 1 Casillas, 2 Maxi, 7 Hernâni, 10 Óliver , (57′ André André)
19 Layún , (79′ Aboubakar), 23 Reyes, 29 Soares (78′), (66′ Corona)
Treinador: Sérgio Conceição
Os Golos

Feirense: Luís Rocha 26′ 
FC Porto: Aboubakar 22′ Felipe 76′

Análise resumo: Contra tudo e contra todos
Na noite desta quarta-feira, no Estádio Marcolino de Castro, os Dragões bateram o Feirense por 2-1, com golos de Aboubakar e Felipe, num jogo em que sai líder da Liga e com fortes razões de queixa do trio de arbitragem liderado por Fábio Veríssimo, que perdoou três expulsões ao Feirense e ainda um penálti sobre Marcano.
A seguir ao golo do Feirense, o FC Porto começou a sentir mais dificuldades em chegar junto da baliza de Caio e até ao intervalo só conseguiu fazê-lo com perigo por duas ocasiões, que o guarda-redes brasileiro resolveu com duas boas intervenções: primeiro num remate de Brahimi (28m) e depois num livre frontal de Alex Telles (36m), nascido de uma falta violenta cometida à entrada da área sobre o extremo argelino, mas que Fábio Veríssimo decidiu punir apenas com um cartão amarelo. Pouco antes, o juiz do apito de Leiria já tinha estado em evidência ao não expulsar Kakuba por outra falta sobre Brahimi às margens da lei (32m).
Faltava aos portistas quem construísse jogo e Sérgio Conceição percebeu isso, e, no início da segunda parte, lançou Óliver para o lugar de André André (57m), já depois de ter visto Fábio Veríssimo não ter assinalado grande penalidade por falta de João Silva sobre Marcano (52m), que daria o segundo amarelo ao avançado local.
Entretanto Sérgio Conceição voltou a mexer, colocando Soares no lugar de Corona que estava a render pouco, mas acabou por ser um defesa a resolver um problema que ameaçava tornar-se bicudo: Alex Telles bateu o canto e Felipe subiu ao terceiro andar para cabecear, de forma fulminante, para o fundo das redes (76m).
A partir daqui, Fábio Veríssimo voltou a entrar em acção: o juiz do apito de Leiria começou por exibir um cartão amarelo a Soares por supostamente simular uma falta que, de facto, existiu (79m); depois, expulsou Felipe por acumulação de amarelos (83m), quando antes não revelou o mesmo critério em relação a Tiago Silva, que, já com um amarelo, cometeu uma falta sobre Óliver também merecedora de ação disciplinar (69m); e, já no tempo de compensação, amarelou Marcano por uma falta que mais ninguém viu (90+5m).
Os três pontos foram mesmo conseguidos contra tudo e contra todos.

Anúncios

Arbitragem escolhida a dedo

 

O Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol nomeou Fábio Veríssimo para dirigir o Feirense-FC Porto desta quarta-feira (20h15), no Estádio Marcolino de Castro, em Santa Maria da Feira, relativo à 16.ª jornada da Liga NOS. O árbitro da Associação de Futebol de Leiria terá como assistentes Paulo Soares e Paulo Brás, enquanto Fábio Piló será o quarto árbitro.
Var: Bruno Paixão auxiliado por Venâncio Tomé.

Ilicito

 

Benfica de Vieira quer controlar tudo, até a Comunicação Social…!
No Universo Porto da Bancada, Francisco J. Marques abordou os emails recentemente conhecidos que testemunham, por exemplo, as relações privilegiadas e ilegítimas do Benfica com a comunicação social: “Hoje ficou claro que o Benfica quer controlar toda a comunicação social e não suporta a que escapa ao seu escrutínio. Os cartilheiros são pessoas a quem falta dignidade e se prestam a fazer o papel de idiotas úteis para propalar uma propaganda”. Também foi comentada a “teia” de controlo do desporto português assumida pelo dirigente encarnado Tiago Pinto numa dessas mensagens: “O desporto português corre o sério risco de se tornar uma enorme mentira. O Benfica procura meter as pessoas certas nos lugares certos. São tantas as coisas em que o Benfica se mete que, decorridos seis meses sobre o início das revelações deste submundo, ninguém tem dúvidas de que não são normais, não são regulares, não são lícitas”.

Universo Porto da Bancada_Resumo_Ver aqui

Taça da Liga Paços x FCPorto

 

Ao intervalo Paços Ferreira 2 FC Porto 2
Os dragões entraram muito bem no jogo conseguiram marcar dois golos nos minutos iniciais, mas nos últimos 20 minutos do primeiro tempo adormeceram infantilmente e os pacenses perante a passividade dos defesas portistas aproveitaram para marcar dois golos e empatar o jogo!
O jogo valeu pela 2ª parte dos Dragões que aumentaram o score através de Aboubakar e venceram um jogo que até poderia ter acontecido goleada se Marega tivesse estado em dia sim…!
Arbitragem de Bruno Esteves 
No capítulo disciplinar foi péssima, execrável, com claro prejuízo para os portistas
Permitiu aos jogadores do Paços Ferreira uma conduta anti-desportiva, quezilenta, e nunca se fez respeitar pelos jogadores da casa (visitado).
Resultado final : Paços Ferreira 2 FC Porto 3

Sábado, 30 Dezembro 2017 • 20:15 – Estádio: Capital do Móvel, P. Ferreira
FC P. DE FERREIRA                    Fase 3, Grupo D, 3ª Jornada                    FC PORTO 

                                                                                                       
Árbitro: Bruno Esteves
Assistentes: Rui Teixeira e Rui Cidade
4.º Árbitro: Cláudio Pereira

FC P. Ferreira: 1 Rafael Defendi
33 Francisco Afonso, 19 Ricardo (c), 22 Miguel Vieira (54′), 5 Quiño
77 Hendrio, 88 Gian (83′), 8 André Leão 11 Diego Medeiros 
28 Luiz Phelype 10 André Leal (88′)
Suplentes: 73 João Pinho, 2 Marco Baixinho, 9 Bruno Moreira 
(73′ Luiz Phelype), 13 João Góis, 15 Mateus (81′), (64′ André Leão)
27 Mabil (57′ Diego Medeiros), 50 Xavier

 Treinador: Petit
FC Porto: 
1 Casillas
2 Maxi 23 Reyes 5 Marcano, 13 Alex Telles
20 André André, 16 Herrera (c) (88′), 21 Ricardo
8 Brahimi 11 Marega, 29 Soares 
Suplentes: 12 José Sá, 28 Felipe, 19 Layún (77′ Brahimi)
27 Sérgio Oliveira, 10 Óliver, 17 Corona (46′ Maxi)
9 Aboubakar (46′ Soares)
Treinador: Sérgio Conceição
Os Golos

Luiz Phelype 31′, Luiz Phelype 45′ 
Reyes 17′, Brahimi 21′, Aboubakar 49′
Análise, resumo
O FC Porto conseguiu na noite deste sábado apurar-se para a “Final Four” da edição de 2017 da Taça da Liga, após vencer no terceiro e último jogo do grupo D o Paços de Ferreira, por 3-2. Os Dragões confirmam assim o encontro com o Sporting na meia-final (23 de Janeiro), naquele que será o jogo de maior cartaz da prova que será decidida entre os dias 23 e 27 de Janeiro, em Braga.
Sem rematar até aos 30 minutos, os pacenses precisaram apenas de duas tentativas para empatar uma partida que tendia para a sua baliza. O brasileiro Luiz Phelype foi o autor dos dois golos (31 e 45).
A expulsão de Herrera
“É o ponto mais negativo desta noite. Não havia necessidade de ter feito o que fez. Se calhar nem atingiu o adversário, mas fez o gesto e já se sabe como é. Contra o FC Porto não se facilita. Ficámos sem um jogador importante, mas outros irão jogar e com certeza que vão aproveitar a oportunidade.”

Árbitro para Paços Ferreira

 

Árbitro : Bruno Esteves
Assistentes : Rui Teixeira e Rui Cidade
Quarto árbitro : Cláudio Pereira
O Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol nomeou Bruno Esteves para dirigir o Paços de Ferreira-FC Porto deste sábado (20h15), no Estádio Capital do Móvel, da terceira e última jornada do grupo D da Taça da Liga. O árbitro da Associação de Futebol de Setúbal terá como assistentes Rui Teixeira e Rui Cidade, enquanto Cláudio Pereira será o quarto árbitro.

Em 2017/18, este será o primeiro jogo do FC Porto dirigido por Bruno Esteves. Em 2016/17, apitou a receção ao Marítimo (2-1), a contar para a 15.ª jornada da Liga.

 

Tem a palavra o Presidente

 

Pinto da Costa e o negócio Wendel: «Não entramos em loucuras»
Wendel está na ordem do dia do mercado nacional. O médio brasileiro, que foi associado ao FC Porto, está muito perto de se tornar reforço do Sporting.
Pinto da Costa foi questionado sobre o negócio, garantindo que no Dragão não há lugar a loucuras. 

«Não comento, ele é livre. O FC Porto está interessado em jogadores que os técnicos avalizem, em preços que sejam razoáveis. Em loucuras não entramos», afirmou o líder azul e branco, em declarações aos jornalistas. 
Apesar de estar presente em quatro competições, Pinto da Costa confidenciou que Sérgio Conceição não está desesperado pelo reforço do plantel portista: «O treinador ainda ontem me disse que, se não houvesse lesões nem castigos, não precisava de ninguém.»
Assembleia na Liga de Clubes (As manipulações do G13)
Segundo o Sr. Presidente do FC Porto os clubes do G13 nem sequer admitiram as propostas: tanto do FC Porto como do Sporting. E mais, se querem substituir o actual presidente da Liga de Clubes, Pedro Proença, que convoquem uma assembleia para esse fim…

‘Não vou pactuar com este tipo de manipulações’
A Assembleia geral extraordinária da liga de clubes está a ser polémica. Estão a ser discutidas as alterações aos regulamentos de competições e de disciplina, com base nas propostas do G13, o grupo de clubes de futebol que não inclui FC Porto, Sporting ou Benfica. As propostas não agradam a todos, tendo Bruno de Carvalho e Pinto da Costa abandonado a reunião.
DragãoatentoIII
Na minha opinião António Salvador presidente do Braga ao instrumentalizar os dirigentes dos chamados “clubes pequenos” está a incendiar o ambiente e a tentar liderar esses clubes para ganhar protagonismo nos bastidores do futebol profissional.
Finalmente caiu a máscara a António Salvador presidente do Braga
Já há muito que se sabia que andava a bajular os “lampeões” em detrimento do FCP

António Salvador 
elogia Benfica e deixa críticas a FC Porto e Sporting
António Salvador, presidente do SC Braga, foi um dos representantes do G13 que falou à comunicação social no final da Assembleia Geral da Liga de Clubes, que ficou marcada pelo abandono de Pinto da Costa e Bruno de Carvalho. O líder do emblema minhoto deixou críticas aos seus homólogos.

«Para determinados clubes ou se aprova aquilo que querem ou então não há nada. Isso ficou demonstrado nesta Assembleia. Essa é a prova de que não querem diálogo e que não querem melhorar o futebol português», afirmou António Salvador, falando individualmente de cada um dos clubes, deixando elogios ao Benfica:
«O Benfica teve uma postura corretíssima nesta Assembleia: houve propostas do qual se absteve e outras em que votou a favor. Queremos que Sporting e FC Porto tenham a mesma postura que o Benfica. Abandono do presidente do Sporting? Quando o Sporting abandona a Assembleia porque as propostas não foram admitidas é porque acha que são as suas propostas que devem ser discutidas e não as dos clubes. FC Porto? Acho graça… As propostas que o FC Porto apresentou foram correções de ‘gralhas’ que nada têm a ver com as nossas propostas, mas sim com os regulamentos já em curso! Nenhuma se coaduna com as nossas».

19 jogadores a valorizar

 

Os 19 jogadores que o FC Porto cedeu esta temporada para valorizarem
Boly. O central de 26 anos é titular indiscutível, marca golos e até faz assistências, contribuindo para a brilhante época que os Wolves estão a realizar no Championship. A subida de divisão está bem encaminhada e por isso faz sentido que acompanhe a equipa na próxima época, já que os ingleses têm a opção de compra do passe. Os detalhes nunca foram oficialmente divulgados, mas em Inglaterra fala-se que pode chegar aos 12 milhões de euros, ou seja, quase o dobro do que custou. Um valor alto para Portugal, mas perfeitamente ao alcance de qualquer emblema inglês. Aliás, o Wolverhampton pagou 16 milhões ao FC Porto por Rúben Neves…
Boly arrancou a época no onze, sendo totalista nas cinco primeiras jornadas. Depois, por lesão, esteve afastado das opções de Nuno, voltando em grande no final de outubro. Desde então jogou sempre, fez dois golos e uma assistência, tendo já ultrapassado os mil minutos de utilização. Mesmo que não renda os tais 12 milhões de euros, poderá pelo menos abater o que custou.
Mikel e Omar Govea são outros emprestados que têm aproveitado bem a época no Bursaspor e no Mouscron, respetivamente. O mexicano é, aliás, o que mais minutos tem de utilização, se descontarmos Quintero, já que as contas do colombiano são desde janeiro. A continuarem assim, a SAD portista poderá também realizar encaixes financeiros interessantes com estes médios ou até fazer regressar algum deles.
No polo oposto do rendimento, Raúl Gudiño (APOEL), Inácio (Portimonense), Rafa Soares (Fulham) e Rui Pedro (Boavista) são os jogadores cujo empréstimo não tem ajudado ao seu crescimento e/ou valorização. Ainda que no caso do lateral-esquerdo que está nos algarvios, uma lesão grave o tenha afastado dos relvados até à passada semana.