Um penálti escamoteado ao FCP

 

Tribunal de OJogo unânime 
Mais uma grande penalidade escamoteada ao FC Porto
o-jogo

Anúncios

Videoárbitro falha em benefício…

 

Os casos sucedem-se,em beneficio sempre do mesmo (Benfica)!
“Falhas de comunicações”, desde o “minuto 66 até ao final do jogo.”
É assim que a Federação Portuguesa de Futebol, através da conta que criou para dar explicações sobre a implementação do videoárbitro, justifica o insólito penálti (o segundo) marcado no jogo entre o Desportivo das Aves e Benfica.
As comunicações do videoárbitro falharam e o Ferrari Vermelho, também conhecido por Nuno Almeida, ficou a arbitrar sozinho, como uma raposa com a chave da capoeira.
O clube com suspeitas de corrupção enfrentava um jogo decisivo para as suas aspirações. Safou-se e contou com a mão amiga do costume.
Se isto não tem de ser alvo de investigação, nada tem de ser alvo de investigação.

Dragões autoritários venceram…

 

… e convenceram!
Bem que o Paços Ferreira tentou vir ao Dragão fazer uma gracinha, mas os Dragões com uma exibição autoritária não deram hipóteses à equipa pacense.
Resultado final : FC Porto 6 Paços Ferreira 1
Os Golos
Ricardo (4m), Felipe (18m), Marega (25m e 33m), Corona (65m) e Aboubakar (72m) apontaram os golos dos Dragões, que mantêm a liderança isolada do Campeonato, agora com 25 pontos somados. Welthon marcou para os pacenses (8m).

Sábado, 21 Outubro 2017 • 20:30 – Estádio: Dragão, Porto – Assistência: 40.121
FC PORTO                            9.ª Jornada                            FC PAÇOS DE FERREIRA

                                                                                      

Árbitro: Manuel Oliveira (Porto)
Assistentes: Pedro Ribeiro e Tiago Leandro
4.º Árbitro: Sérgio Soares (VAR: Fábio Veríssimo)
FC Porto: 12 José Sá
21 Ricardo 28 Felipe (62′)5 Marcano, 13 Alex Telles
17 Corona 22 Danilo 16 Herrera (c) (63′), 8 Brahimi
11 Marega 9 Aboubakar 
Suplentes: 1 Casillas
2 Maxi Pereira, 7 Hernâni (76′ Corona), 10 Óliver20 André André 
(70′ Danilo), 23 Reyes, 90 Galeno (80′ Galeno)
Treinador: Sérgio Conceição
Paços Ferreira: 
86 Mário Felgueiras
33 Francisco Afonso (46′), 3 Rui Correia (27′), 2 Marco Baixinho (c) (51′)
22 Miguel Vieira, 8 André Leão, 50 Xavier, 29 Vasco Rocha 15 Mateus 
7 Welthon 12 Pedrinho
Suplentes: 1 Rafael Defendi, 9 Bruno Moreira (54′ Vasco Rocha)
19 Ricardo (55′), (30′ Rui Correia), 27 Mabil, 28 Luiz Phellype
77 Hendrio (68′ Mateus), 88 Gian
Treinador: Vasco Seabra
O videoárbitro Fábio Veríssimo
O resultado poderia ter sido mais alargado já ao intervalo, porque ficou um penálti por marcar aos 38 minutos, por mão na bola, após remate de Brahimi. A bola ia para a baliza e estranha-se que o videoárbitro Fábio Veríssimo não tenha auxiliado Manuel Oliveira.

Trapalhadas benfiquistas

 

“Advogado do Benfica falou e eu não via nada assim desde o Titanic”
Francisco J. Marques, director de comunicação e informação do FC Porto, comentou esta quinta-feira a reacção do porta-voz dos advogados do Benfica às diligências efectuadas pela Polícia Judiciária (PJ) no Estádio da Luz e residências dos visados pelo caso dos emails.
“Já tínhamos falado do comportamento de negação do Benfica desde que houve a decisão da providência cautelar. O advogado estava a falar e eu não via nada assim desde o naufrágio do Titanic. Estavam a decorrer buscas e o doutor João Correia a dizer ‘ainda bem que vieram cá’. Se assim é, porque é que nunca se disponibilizaram? A orquestra a tocar enquanto o barco afunda. Não inventámos absolutamente nada, não manipulámos informação nenhuma, mostrámos a nossa disponibilidade para contribuir para uma investigação rápida, que consiga aprofundar estas coisas. Não tentámos impedir fosse o que fosse, ao contrário do Benfica. Queriam saber o que o FC Porto tinha e o que tinha entregue à PJ”, afirmou o dirigente portista, garantindo que o clube azul e branco vai continuar disponível para “denunciar práticas irregulares”:
“Estamos perante práticas muito complicadas, que adulteram a verdade das competições e assuntos que precisam de ser esclarecidos e investigados. Saudamos este passo e vamos continuar a colaborar, se pudermos. Continuaremos sempre a denunciar práticas irregulares. Isso, o FC Porto fará sempre”.

Árbitro para sábado e…

 

O Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol nomeou o árbitro Manuel Oliveira para dirigir o jogo entre o FC Porto e o Paços de Ferreira, relativo à nona jornada da Liga NOS (sábado, 20h30). O árbitro da Associação de Futebol do Porto terá como assistentes Pedro Ribeiro e Tiago Leandro, sendo que o quarto árbitro será Sérgio Soares e no vídeo-árbitro estará Fábio Veríssimo.
Manuel Oliveira já arbitrou quatro jogos da Liga portuguesa esta temporada, um dos quais o FC Porto-Moreirense (3-0)​, da terceira jornada da Liga. O juiz portuense já exibiu 16 cartões (15 amarelos e um vermelho), o que perfaz uma média de quatro cartões por encontro.
Portimonense no caminho da Taça de Portugal
O FC Porto vai receber o Portimonense nos 16 avos de final da Taça de Portugal, de acordo com o sorteio realizado ao início da tarde desta quinta-feira, na Cidade do Futebol, em Oeiras. O jogo está oficialmente agendado para 19 de Novembro.
Depois de se terem encontrado no Estádio do Dragão na sétima jornada da actual edição da Liga (5-2), as duas equipas voltam a cruzar-se agora na Taça de Portugal, o que já aconteceu por duas vezes na história da competição, curiosamente ambas a contar para os 16 avos de final e realizadas no estádio ​do FC Porto. A primeira aconteceu na longínqua época de 1955/56 e terminou com uma goleada dos azuis e brancos por 13-1; a segunda teve lugar em 1984/85 e o resultado foi de 2-0 também a favor dos portistas​.
“É uma equipa bem conhecida, com excelentes executantes, um treinador com provas dadas, que joga um bom futebol e que terá as suas ambições. Sabemos que os nossos profissionais terão que estar ao seu melhor nível para conseguirmos passar à próxima eliminatória”, afirmou Fernando Gomes, o representante do FC Porto no sorteio.​

Mr. Sérgio Conceição e…

 

Cometemos erros que não são normais
As razões da derrota

“É uma equipa com um grande poderio físico, muito intensa e agressiva na recuperação da bola. Cometemos alguns erros na defesa que não são normais, mesmo frente a uma equipa com estas características e que nos deu dissabores na primeira parte, apesar de sentir que, quando chegávamos à frente, o fazíamos com algum perigo. Sinceramente, voltando à preparação do jogo, faltou-nos a tal consistência na defesa para partir para uma exibição mais confortável e tentar ganhar o jogo.”
Lições para a recepção ao Leipzig
“Estou cá para analisar o que não foi bem feito, sabemos que temos agora dois jogos em casa e um fora na Liga dos Campeões. É uma derrota que nos custa, não estamos habituados a perder. Perdemos conta uma equipa forte, muito sólida e que jogava em casa uma partida essencial para as suas aspirações. Mas ainda falta algum tempo para recebermos o Leipzig, vamos descansar e pensar no jogo com o Paços de Ferreira, que é muito importante para nós no Campeonato Nacional.”
A titularidade de José Sá e Casillas no banco

“Achei que a melhor equipa era constituída pelos 11 que começaram. Cabe-me a mim escolher os 11, os sete que ficam no banco e infelizmente tive de deixar três jogadores de fora. Vamos ver no futuro, hoje foi assim, os jogos são diferentes. Foi uma opção técnica, sou treinador, tenho de decidir, pouco me importa o ruído se decido em consciência.”
Felipe e Herrera lamentaram a “falta de alguma intensidade”
Felipe: “Estamos vivos”
“Sabemos que a competição de alto nível requer muita concentração. Sabíamos que eles em casa iam ter muito mais intensidade, e foi o que aconteceu. Nós temos que nos preparar melhor, ter um pouco mais de atenção, porque não podemos sofrer três golos ou até dois e depois não conseguir igualar a partida. A equipa teve uma boa postura, apesar de ter começado praticamente a perder, e penso que, pela atitude, até está de parabéns. Dentro de nossa casa vai ser diferente, vamos ter outra atitude e vamos pressionar um bocadinho mais. Até lá ainda falta muito tempo, mas estamos vivos.
Herrera: “Vamos aprender com os erros”
“Faltou-nos igualar a intensidade e agressividade que eles tiveram. Sabíamos disso, que eles são muito fortes a pressionar. Entrámos menos fortes face a outros jogos, por circunstâncias do próprio jogo, e isso depois reflecte-se no marcador e no sistema de jogo. Quando igualamos essa tal agressividade tentámos fazer o nosso jogo e gerámos ocasiões, apesar de poucas. Vamos aprender com os erros.”

 

Novo fracasso da estratégia


Mister! Novo fracasso da táctica, da estratégia concebida para este jogo…!
Admitindo que o Mr. Sérgio Conceição estudou bem a equipa do Leipzig, errou no entanto na estratégia que engendrou para opor ao Leipzig.
Foi notória a diferença de ritmo do futebol praticado pelas duas equipas. A velocidade (agressividade sobre a bola) dos alemães desbaratou/desorientou completamente o meio campo e a defesa portista. Sectores que ao falharem 4 ou 5 desarmes e errarem 3 ou 4 passes proporcionaram a oportunidade para os contrários aproveitarem e marcarem 3 golos que poderiam ter sido 4 ou 5.

Terça-feira, 17 Outubro 2017 • 19:45 Estádio: RB Arena, Leipzig- Assistência: 41.496
LEIPZIG                               3.ª Jornada                                  FC PORTO
                                                                               

Árbitro: Paolo Tagliavento (Itália)
Assistentes: Riccardo Di Fiore e Lorenzo Manganelli;
Adicionais: Paolo Valeri e Antonio Damato
4.º Árbitro: Fabiano Prieti

Leipzig: 32 Gulácsi
16 Klostermann, 4 Orban (c) (47′), 5 Upamecano, 23 Halstenberg
7 Sabitzer, 8 Keita, 44 Kampl, 17 Bruma 
29 Augustin , 10 Forsberg 
Suplentes: 28 Yvon Mvogo, 3 Bernardo , (90+1′ Forsberg), 6 Konaté
9 Poulsen , (76′ Augustin), 11 Werner , (75′ Bruma), 27 Lalmer
31 Demme
Treinador: Ralph Hasenhüttl
FC Porto: 12 José Sá

19 Layún, 28 Felipe, 5 Marcano , 13 Alex Telles
22 Danilo, 27 Sérgio Oliveira (54′), 16 Herrera (c) 
11 Marega, 9 Aboubakar , 8 Brahimi (46′)
Suplentes: 1 Casillas
7 Hernâni , (81′ Herrera), 10 Óliver , (58′ Sérgio Oliveira)
17 Corona , (76′ Brahimi), 21 Ricardo, 23 Reyes, 25 Otávio
Treinador: Sérgio Conceição
Os Golos
Leipzig: 
Orban (c) 8′ –  Forsberg 37′ – Augustin 40′
FC Porto: Aboubakar 18′ –  Marcano 44′
Dragões:
José Sá demonstrou falta de serenidade, devido à sua inexperiência neste tipo de jogos (Champions League).
Felipe e Marcano denotaram muitas dificuldades, não tiveram pernas para suster a maior velocidade dos avançados do Leipzig.
Forsberg enquanto jogou foi um quebra cabeças, com a sua velocidade e técnica fez o que quis dos seus adversários. O menos mau da defesa acabou por ser o Alex Telles.
No meio campo só o Danilo se salvou relativamente bem . Sérgio Oliveira tem físico mas falta-lhe velocidade de pernas e Herrera esteve esforçado mas pouco esclarecido.
No ataque só se salvou Aboubakar. Marega esforçou-se mas as coisas não lhe saíram bem. Brahimi, teve alguns apontamentos, mas muito marcado, esteve muito abaixo do seu melhor rendimento.
Resultado em forma de conclusão: derrota sem apelo nem agravo dos dragões